• Notícias
    Data da publicação: sexta-feira, 17 de março de 2017
    Operação Ouro Negro atua em Mombuca
    De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as investigações começaram no dia 18 de fevereiro de 2017, durante uma fiscalização de trânsito no estado do Rio de Janeiro.
    Por: Tonny Machado
    E-mail


    Foto|Tonny Mahcado

    A Polícia Rodoviária Federal juntamente com o Ministério Público de Piracicaba (GAECO) e o Ministério Público do Trabalho cumpriram mandado de busca e apreensão na tarde desta quinta-feira (16) em Mombuca.

    De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as investigações começaram no dia 18 de fevereiro de 2017, durante uma fiscalização de trânsito no estado do Rio de Janeiro. Três carretas carregadas com resíduo de óleo, segundo nota fiscal, estavam transportando petróleo bruto , comprovado após analise do material , produto com transporte proibido em caminhões.

    Um dos caminhões tinha o destino de entrega na empresa Solub na cidade de Mombuca. Diante das circunstancias, a Polícia Rodoviária Federal, comunicou o fato ao Ministério Público de Piracicaba que a partir dessas informações começou uma investigação.

    Durante as investigações, um caminhão tanque se envolveu em um acidente na BR 116 em Sapucaia no Rio de Janeiro. O acidente aconteceu no dia 11 de março, de acordo com a PRF. O caminhão tombou sobre um veículo de passeio que pegou fogo, os quatro ocupantes do carro morreram.

    Uma equipe de peritos foi até o local e constatou que a carga era petróleo bruto, levantando a hipótese da empresa Solub, receptar petróleo furtado dos dutos das Petrobrás.

    
    
    
    


    Amostras foram apreendidas durante a operação

    Diante das suposições, Ministério Público, Polícia Rodoviária Federal e Ministério do Trabalho realizaram na tarde desta quinta a operação Ouro Negro.

    As autoridades localizaram cerca de 20 mil litros de uma substância que aparentava ser petróleo bruto na empresa Solub em Mombuca. A Petrobrás esteve no local para analise do material e comprovou a suspeita dos investigadores.

    Na empresa, três pessoas foram detidas para averiguação: o ex. prefeito de Mombuca Marcos Antônio Poletti um engenheiro, e o filho de um dos sócios da refinaria de petróleo clandestina.

    
    
    
    

    Os três foram encaminhados para a Delegacia de Investigações Gerais de Piracicaba, e o delegado Fábio Rizzo de Toledo, ratificou o flagrante em delito pela pratica dos crimes previstos no artigo 180, já que o combustível localizado teria sido desviado de forma criminosa da Petrobrás.

    Nesta sexta-feira (17), os três presos vão participar de uma audiência de custódia que vai definir se os suspeitos vão continuar presos.


    Ouça no áudio a baixo entrevista com o Promotor do GAECO e com o advogado de defesa de Marcos Poletti.


    Ouça o áudio.
    Veja também
  • Na mira do BC, cartão de débito deve ter incentivo para reduzir custos ao lojista
  • Operação da PF vai desvendar fraude de R$205 milhões na Fazenda
  • Crise política e econômica afasta imigrantes do Brasil
  • Valdir Vitorino participou ao vivo do Primeira Página desta sexta; Assista!
  • Sorteio de 224 casas populares acontece hoje em Capivari
  • Congresso aprova Orçamento federal de R$ 3,5 trilhões para 2018
  • Governo libera pagamento do sexto lote do PIS/Pasep
  • Documento do carro terá versão digital em 2018
  • Sobe o número de brasileiros que vão guardar o dinheiro do 13º
  • Google e operadoras desenvolvem substituto do SMS
  • Anvisa aprova vacinação em farmácias
  • Vendas no comércio voltam a crescer, em novembro
  • Peça teatral A Pedra do Gênesis será apresentada neste sábado em Capivari
  • Julgamento de Lula no caso do triplex é marcado para janeiro
  • Colisão entre carro e moto deixa uma pessoa ferida e inconsciente em Capivari

  • (19) 3491-1750
    R. Gal. Osório, 1047 Capivari / SP | CEP:13360-000