• Notícias
    Data da publicação: sexta-feira, 17 de março de 2017
    Operação Ouro Negro atua em Mombuca
    De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as investigações começaram no dia 18 de fevereiro de 2017, durante uma fiscalização de trânsito no estado do Rio de Janeiro.
    Por: Tonny Machado
    E-mail


    Foto|Tonny Mahcado

    A Polícia Rodoviária Federal juntamente com o Ministério Público de Piracicaba (GAECO) e o Ministério Público do Trabalho cumpriram mandado de busca e apreensão na tarde desta quinta-feira (16) em Mombuca.

    De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as investigações começaram no dia 18 de fevereiro de 2017, durante uma fiscalização de trânsito no estado do Rio de Janeiro. Três carretas carregadas com resíduo de óleo, segundo nota fiscal, estavam transportando petróleo bruto , comprovado após analise do material , produto com transporte proibido em caminhões.

    Um dos caminhões tinha o destino de entrega na empresa Solub na cidade de Mombuca. Diante das circunstancias, a Polícia Rodoviária Federal, comunicou o fato ao Ministério Público de Piracicaba que a partir dessas informações começou uma investigação.

    Durante as investigações, um caminhão tanque se envolveu em um acidente na BR 116 em Sapucaia no Rio de Janeiro. O acidente aconteceu no dia 11 de março, de acordo com a PRF. O caminhão tombou sobre um veículo de passeio que pegou fogo, os quatro ocupantes do carro morreram.

    Uma equipe de peritos foi até o local e constatou que a carga era petróleo bruto, levantando a hipótese da empresa Solub, receptar petróleo furtado dos dutos das Petrobrás.

    
    
    
    


    Amostras foram apreendidas durante a operação

    Diante das suposições, Ministério Público, Polícia Rodoviária Federal e Ministério do Trabalho realizaram na tarde desta quinta a operação Ouro Negro.

    As autoridades localizaram cerca de 20 mil litros de uma substância que aparentava ser petróleo bruto na empresa Solub em Mombuca. A Petrobrás esteve no local para analise do material e comprovou a suspeita dos investigadores.

    Na empresa, três pessoas foram detidas para averiguação: o ex. prefeito de Mombuca Marcos Antônio Poletti um engenheiro, e o filho de um dos sócios da refinaria de petróleo clandestina.

    
    
    
    

    Os três foram encaminhados para a Delegacia de Investigações Gerais de Piracicaba, e o delegado Fábio Rizzo de Toledo, ratificou o flagrante em delito pela pratica dos crimes previstos no artigo 180, já que o combustível localizado teria sido desviado de forma criminosa da Petrobrás.

    Nesta sexta-feira (17), os três presos vão participar de uma audiência de custódia que vai definir se os suspeitos vão continuar presos.


    Ouça no áudio a baixo entrevista com o Promotor do GAECO e com o advogado de defesa de Marcos Poletti.


    Ouça o áudio.
  • Veja também
  • Governo amplia público-alvo de vacinas de HPV para adultos até 26 anos
  • Brasil atinge 155 assassinatos por dia no 1º semestre deste ano
  • Prefeitura de Capivari adquire câmeras de vigilância para Saúde
  • Brasil será convidado de honra em Feira do Livro da Colômbia
  • Especialista fala sobre Síndrome do Pânico
  • Leilão de 13 aeroportos deve render mais de R$ 6 bi ao governo
  • Fuvest abre inscrições para o vestibular 2018
  • Quase 2% dos cheques foram devolvidos em julho
  • Campanha de Vacinação contra a Raiva começa no próximo mês em Capivari
  • José Carlos Assalin é o novo secretário de Governo
  • Cerca de 59,4 milhões de brasileiros estão endividados
  • Aposentados e pensionistas já podem consultar a primeira parcela do décimo terceiro
  • Em alta na seleção, Tite concorre ao prêmio da Fifa como melhor treinador do mundo
  • Preço dos imóveis recua e m² é vendido a R$ 7.654
  • Karatecas são homenageados na Câmara de Capivari

  • (19) 3491-1750
    R. Gal. Osório, 1047 Capivari / SP | CEP:13360-000