• Notícias
    Data da publicação: domingo, 16 de julho de 2017
    Dia do Comerciante é marcado por otimismo e expectativa de crescimento
    Varejo e atacado paulista, que empregam, juntos, mais de 2,5 milhões de pessoas, vivem momento de retomada.
    Por: Redação
    E-mail

    Comemorado em 16 de julho, o Dia do Comerciante deste ano tem o otimismo como o principal sentimento cultivado por varejistas e atacadistas paulistas, que vivem a expectativa pela retomada das vendas e das contratações de novos funcionários. Segundo dados da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o comércio varejista paulista faturou R$ 590,8 bilhões em 2016, praticamente estável (0,1%) em relação a 2015. Essa estabilidade veio após um período de dois anos de quedas consecutivas nas vendas do setor, que acumulou perdas de 2,8% e 6,3% em 2014 e 2015, respectivamente, segundo dados da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV).

     

    Para 2017, a Federação projeta uma alta real de 5% no faturamento do varejo paulista. A Entidade afirma, porém, que os desdobramentos da crise política ao longo dos próximos meses serão decisivos para a consolidação dessa estimativa.

     

    Ainda assim, a expectativa é mais positiva do que no mesmo período do ano passado. Diante da queda nas vendas, o ajuste no quadro de funcionários foi inevitável, e o comércio varejista eliminou pouco mais de 107 mil empregos com carteira assinada em 2015 e 2016. Com a recuperação já observada das vendas neste começo de ano, o mercado de trabalho também deve reagir. Em abril, o setor abriu 1.570 vagas no Estado e encerrou o mês com 2.054.084 trabalhadores formais, sendo a maioria deles alocada nos setores de supermercados (31,4%); outras atividades (16,2%); e lojas de vestuário, tecidos e calçados (12,5%).

     

    O impulso que a recuperação do varejo de São Paulo deve dar para a economia nacional é grande e, somado à retomada do setor atacadista paulista,pode ser decisivos para decretar o fim do pior período de recessão da história brasileira. Os dois setores empregam, juntos,mais de 2,5 milhões de pessoas com carteira assinada no Estado de São Paulo.

    Veja também
  • USP descobre moléculas que podem tratar febre amarela
  • Moradora de Rafard denuncia mau estado de conservação em banheiro de Praça
  • Entrega da declaração do IR 2018 começa no dia 2 de março
  • Pesquisadores da USP encontram nova forma de detectar o vírus da febre amarela
  • Carnaval de Marchinhas em Capivari é o evento ideal para seu filho neste carnaval
  • Lei autoriza visita de pets a pacientes em hospitais municipais de São Paulo
  • Implante no cérebro ajuda a melhorar a memória humana
  • Fique atento: Carnaval não é feriado nacional
  • Inauguração da Galeria Tarsila do Amaral ocorre no dia 22
  • Projeto do Senado pretende punir passageiro que acompanhar motorista bêbado ou drogado
  • Pensão integral para cônjuge de policiais entra na reforma da Previdência
  • 6 passos para quem começou 2018 com dívidas
  • Acidentes nas rodovias federais caíram 7,5% em 2017
  • Vereadores cobram administração durante retorno das sessões camarárias em Rafard
  • Especialista em moda, Nanda Máximo, fala sobre o Carnaval

  • (19) 3491-1750
    R. Gal. Osório, 1047 Capivari / SP | CEP:13360-000