• Notícias
    Data da publicação: quarta-feira, 06 de setembro de 2017
    Noites e vias movimentadas concentram maior parte dos acidentes fatais com ciclistas
    Considerando os atores do trânsito, os ciclistas aparecem como um dos mais vulneráveis, ao lado dos pedestres
    Por: Redação
    E-mail

    O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito alerta para os dados do Infosiga-SP, que mostram que sete em cada dez fatalidades com ciclistas no Estado de São Paulo são causados por colisão contra outros veículos e o período da noite concentra metade das ocorrências. Esse cenário reforça a necessidade de ciclistas tomarem cuidados redobrados com a segurança ao trafegar nas vias mais movimentadas, como avenidas e rodovias, que concentram 44% das ocorrências deste ano.

     

    "Considerando os atores do trânsito, os ciclistas aparecem como um dos mais vulneráveis, ao lado dos pedestres", explica a coordenadora do Movimento Paulista, Silvia Lisboa. Somente neste ano, 209 fatalidades com ciclistas foram registradas em todo o Estado, 4 casos a menos (-1,9%) na comparação com os sete primeiros meses de 2016.

     

    Destas ocorrências, 56,5% aconteceram em vias municipais e 32,5% em rodovias. Cerca de 90% das vítimas são homens, e chama a atenção também o número de idosos: 27% das vítimas tinham mais de 60 anos de idade.

     

    De olho na segurança

    Andar de bicicleta requer alguns cuidados, como o uso de equipamentos de segurança e sinalizadores luminosos. Os dispositivos são úteis para evitar uma colisão, dando mais visibilidade e reduzindo a gravidade do impacto em caso de acidentes. Apesar de não ser obrigado por lei, o uso do capacete pelo ciclista aumenta a segurança ao diminuir a chance de uma lesão na cabeça, como um traumatismo.

     

    Assim como acontece com os motociclistas, manter-se visível no trânsito também é uma forma de proteção, principalmente no período da noite. Segundo o Infosiga-SP, 50% dos acidentes fatais ocorrem após as 18h. Roupas claras ou coloridas, faixas refletivas na bicicleta e no capacete ajudam a destacar a presença do ciclista na via, reduzindo as chances de acidente. Importante atentar também para mochilas coloridas ou cuidar para que não acabem tampando uma sinalização útil.

     

    Andar na contramão 

    Um comportamento que deve ser evitado pelo ciclistas é trafegar pela contramão. Por mais que se sintam mais seguros por conseguir ver o tráfego a sua frente, há riscos nessa prática. Por exemplo, pedestres tendem a olhar somente para o fluxo dos carros para atravessar uma rua. Se uma bicicleta estiver no sentido contrário, não terá a atenção necessária e pode ocorrer um atropelamento.

     

    O mesmo raciocínio vale para os carros. Ao fazer uma curva ou abri a porta, o motorista estará atento somente aos veículos que seguem no mesmo sentido.  O tempo de reação para imprevistos também é menor, por conta da velocidade de veículos e bicicletas que seguem no sentido inverso.

     

    Por falar em velocidade, esse é um fator importante quando se fala de bicicletas em rodovias. Apesar da necessidade de mobilidade de muitas pessoas, trafegar em acostamentos é sempre um risco. A prática de atividades esportivas também não é recomendada sem equipe de apoio e segregação adequada no percurso.

     

    Opções 

    Mudar o comportamento de motoristas e pedestres, que ainda não assimilaram o aumento de bicicletas no trânsito, leva tempo. Sempre que possível, deve-se utilizar as ciclovias para trafegar nas cidades, principalmente em vias movimentadas. "É fundamental que motoristas respeitem o espaço das bicicletas e vice-versa. As cidades começam a se adaptar para abrigar melhor o ciclista, mas o melhor solução sempre é a cautela aliada à educação e o respeito às leis de trânsito", conclui Silvia Lisboa. Lembrando que os pedestres e os ciclistas são os atores mais frágeis, assim, “motociclistas e motoristas precisam ter atenção e respeito ao ultrapassar, por exemplo”, alerta.

    Veja também
  • Passageiro desembarca em Congonhas com pistolas semi-automáticas escondidas
  • Menos de 10% das imagens compartilhadas em grupos de WhatsApp são verdadeiras, constata estudo
  • Francisco pode ser o primeiro Papa a visitar a Coreia do Norte
  • Horário de Verão afeta mais da metade dos participantes do Enem
  • Brasileiros nascidos em outubro recebem abono do PIS referente a 2017
  • 30 milhões de brasileiros que tiveram dados invadidos são avisados pelo Facebook
  • Juros cobrados dos consumidores no cartão e no cheque especial, por exemplo, voltam a cair
  • Preço médio do aluguel sobe 2%, em 2018, para R$ 28,55 o m²
  • Portabilidade numérica completa 10 anos: mais de 45 milhões de mudanças já foram realizadas
  • Preço da gasolina sobe para R$ 4,72 o litro, o maior valor no ano
  • Governo Temer é considerado ruim ou péssimo por 74% dos brasileiros, diz Ibope
  • PF vai investigar ameaça a Rosa Weber sobre suspeita de fraude nas urnas
  • Após perderem benefícios, família luta para cuidar de criança com paralisia cerebral
  • Gil Gomes morre aos 78 anos em São Paulo
  • Mudanças climáticas podem reduzir produção e elevar o valor da cerveja no mundo

  • (19) 3491-1750
    R. Gal. Osório, 1047 Capivari / SP | CEP:13360-000