• Notícias
    Data da publicação: terça-feira, 14 de novembro de 2017
    Conheça os perigos do diabetes gestacional
    Por: Redação
    E-mail

    É comum ocorrer um problema ou outro durante a gravidez, por mais que a mulher sonhe com uma gestação totalmente saudável, intercorrências podem aparecer como, por exemplo, o diabetes gestacional. O problema nada mais é do que uma alteração hormonal que causa a intolerância a carboidratos. 

    Segundo a endocrinologista, Dra. Amália Lucy Querino, "o diabetes gestacional nem sempre pode ser prevenido porque parte do problema está relacionado às alterações hormonais típicas da mulher grávida causadas pela placenta para assegurar alimento (açúcar) ao embrião. A disglicemia é a alteração metabólica mais comum na gravidez, sendo o diabetes gestacional a forma mais prevalente, definido como uma alteração da glicemia de qualquer grau, detectada pela primeira vez nos exames do pré natal. A ocorrência da doença tem aumentado nas últimas décadas, devido dois importantes fatores de risco: a prevalência do sobrepeso na população e ao fato de as mulheres estarem adiando a hora de engravidar, esperando muitas vezes estabilidade profissional", explica.

    Também pode acontecer de a mulher já ser diabética antes da gravidez, nesse caso há um risco maior de malformações, pois o açúcar alto interfere na fertilização e implantação do embrião, afetando de modo particular a organogênese. Esse fato faz aumentar o risco de aborto precoce, defeitos congênitos graves e retardo no crescimento fetal, sobretudo nos casos tratados de maneira inadequada. Além das complicações fetais, as manifestações maternas também são relevantes, em especial naquelas mulheres que já eram diabéticas antes de engravidar, uma vez que o estado gestacional pode causar ou piorar complicações prévias, como retino, neuro, nefro e vasculopatia diabéticas.

    Não é incomum de a mulher só descobrir que é diabética nos exames do pré-natal. Por isso, o ideal é uma gestação programada e, na presença de fatores de risco (obesidade, idade maior que 35 anos e história familiar) aconselha-se o rastreio de diabetes, para evitar aquelas complicações da fase inicial mencionadas.

    Tanto o diabetes prévio quanto o diabetes que aparece na gravidez aumentam risco de parto prematuro e ganho de peso exagerado do bebê, além de complicações neonatais, como hipoglicemia e icterícia.  Três em cada 10 gestantes continuam diabéticas após o parto. "Esse é um dos motivos para a recomendação de mulheres se submeterem a novo exame de glicemia de jejum cerca de dois meses depois do parto. Mulheres que já eram obesas antes da gravidez têm mais risco de continuar diabéticas", diz a especialista.

    Muitas vezes a doença aparece na segunda metade da gestação, na medida em que a placenta amadurece e libera mais hormônios. A única maneira de saber é fazendo o teste de glicose no pré-natal e, se necessário, o teste de tolerância a glicose, em que a gestante toma um líquido doce e coleta-se o sangue para saber como o corpo reage.

    “Acima de tudo  a prevenção continua sendo o melhor remédio. Caso não haja contraindicação obstétrica inicie ou não deixe de fazer atividade física e mantenha uma alimentação equilibrada evitando grande quantidade de carboidratos e bebidas açucaradas” alerta. Mas faça tudo sempre com orientação médica, assim você conseguirá controlar o açúcar durante toda a gestação", finaliza Amália.

    Veja também
  • USP descobre moléculas que podem tratar febre amarela
  • Moradora de Rafard denuncia mau estado de conservação em banheiro de Praça
  • Entrega da declaração do IR 2018 começa no dia 2 de março
  • Pesquisadores da USP encontram nova forma de detectar o vírus da febre amarela
  • Carnaval de Marchinhas em Capivari é o evento ideal para seu filho neste carnaval
  • Lei autoriza visita de pets a pacientes em hospitais municipais de São Paulo
  • Implante no cérebro ajuda a melhorar a memória humana
  • Fique atento: Carnaval não é feriado nacional
  • Inauguração da Galeria Tarsila do Amaral ocorre no dia 22
  • Projeto do Senado pretende punir passageiro que acompanhar motorista bêbado ou drogado
  • Pensão integral para cônjuge de policiais entra na reforma da Previdência
  • 6 passos para quem começou 2018 com dívidas
  • Acidentes nas rodovias federais caíram 7,5% em 2017
  • Vereadores cobram administração durante retorno das sessões camarárias em Rafard
  • Especialista em moda, Nanda Máximo, fala sobre o Carnaval

  • (19) 3491-1750
    R. Gal. Osório, 1047 Capivari / SP | CEP:13360-000