• Parabólicas
    Data da publicação: quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018
    Brasileiro concorre ao prêmio de melhor professor do mundo
    Por: MIlena Andrade - Rádio 2



    O professor Diego Mahfouz Faria Lima está entre os 10 nomes que concorrem ao Global Teachers Prize 2018, organizado pela Fundação Varkey. A nomeação foi anunciada pelo bilionário Bill Gates.

    Diretor da Escola Municipal Darcy Ribeiro, situada em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, Diego foi nomeado para o prêmio por reestruturar o colégio que era conhecido como um dos piores do Estado, com altos índices de violência e tráfico de drogas.

    Na descrição dos indicados, Diego é citado como um profissional que "transformou a escola com um trabalho desenvolvido ao lado de estudantes, pais, professores, funcionários da escola e membros da comunidade".

    O diretor é também citado como alguém que persuadiu empresas e escolas locais a doar materiais para restaurar o edifício da instituição com apoio de parentes, colaboradores e estudantes.

    Diego conta que ao assumir o comando da escola "era comum" ver adolescentes de 13 anos portando armas de fogo. "Teve alguns episódios na escola em que eu chorei bastante", lembra o professor.

    "As salas de aula, além de incendiadas, eram todas pichadas. No meu primeiro dia de trabalho, colocaram fogo no banheiro, jogaram água em mim, jogaram muitas maçãs em mim e também viraram os tambores de lixo em mim".

    Diante da situação complicada, Diego afirma que sua atitude foi dizer que confiava nos estudantes e que queria ouvi-los. A partir desse momento, ele conta que começou a reestruturação que resultou na sua indicação para o prêmio.

    Diego disputa o título de melhor professor de 2018 com outros professores da Turquia, África do Sul, Colômbia, Filipinas, Estados Unidos, Bélgica, Austrália, Reino Unido, e da Noruega. Quem for considerado o professor "que teve uma contribuição excelente para a profissão" receberá uma premiação no valor de US$ 1 milhão.

    Fonte: R7



    Veja mais parabólicas