Compartilhe
Foto: Divulgação/Prefeitura

A cidade de Capivari registrou 22 ocorrências de fogo em mata desde 1º de maio, segundo a prefeitura. O município não tem chuvas significativas há 54 dias e o tempo seco favorece queimadas em áreas verdes.

Segundo a administração, chuvas significativas são as que chegam a 20 ou 30 milímetros. A última com volume considerável “razoável” pela prefeitura foi em 1º de junho, com 24,6 milímetros. Após isso, todas as chuvas que caíram na cidade não ultrapassaram 2 milímetros.



Durante a estiagem, a Defesa Civil faz uma operação, a partir de 1º de maio e até 30 de setembro, de orientação de combate a incêndios florestais. Segundo a prefeitura, essas queimadas são mais comuns durante o período mais seco do ano.

“Nesta época em que vivemos um período de estiagem, é necessário que toda a população redobre a atenção e cuidados. Devido à falta de chuvas, a probabilidade de incêndios florestais é maior, além de aumentar os problemas respiratórios”, disse Júlio Capóssoli Neto, diretor de Defesa Civil.

As últimas queimadas divulgadas foram nos bairros Jardim Branyl, Bosque dos Pinheiros, São João Batista e na avenida Josefina Giovana Rossi. Em 13 de julho, o fogo destruiu quase 900 metros quadrados de vegetação no São João Batista.

A prefeitura ressalta que atear fogo em terrenos, matas, pastos e outros locais é crime. A orientação é evitar jogar cigarros ou fósforos acesos nas margens de rodovias, acender fogueiras e evitar qualquer tipo de queimada.



Se o morador avistar fumaça em algum lugar ou precisar de ajuda da equipe, a Defesa Civil atende pelo telefone (19) 3492-3186 ou pelo 199. A Guarda Civil atende pelo 153 e o Corpo de Bombeiros atende pelo 193.

Fonte: G1