Compartilhe

Os cientistas da Universidade de Harvard conseguiram criar, do zero, um coração similar ao humano, que imita os batimentos cardíacos. É a primeira vez que isso acontece e representa um grande avanço nos transplantes e produção de órgãos.

“Este trabalho é um grande passo para a biofabricação de órgãos e nos aproxima de nosso objetivo final de construir um coração humano para transplante”, afirmou Kevin Parker, professor e autor sênior do artigo. Vale ressaltar que as doenças cardíacas são uma das principais causas de morte no mundo. Isso porque, o coração, ao contrário de outros órgãos, não pode se reparar após uma lesão.



Os pesquisadores desenvolveram o coração usando células cardíacas, com fibras que direcionam o alinhamento celular e permitem que estruturas sejam controladas por engenharia de tecidos. O maior desafio ao recriar o coração humano foi a construção de estruturas únicas que formam esse órgão, como as geometrias helicoidais, responsáveis pelo movimento de torção à medida que o coração bate, que o movimento responsável por bombear sangue em grandes volumes.

Os cientistas usaram um sistema muito mais rápido que a impressão 3D, o FRJS, que na tradução é uma Fiação a Jato Rotativo que produz nanofibras. Para efeito de comparação, imprimir em 3D cada pedaço de colágeno no coração humano levaria mais de 100 anos. O FRJS cumpre a tarefa em um dia.

Fonte: Só Notícia Boa