Compartilhe

Delegada Titular de Capivari e da Delegacia de Defesa da Mulher, Maria Luísa Rigolin, esteve nos estúdios da Raízes FM para comentar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração de Crianças e Adolescentes, celebrado no dia 18 de Maio. Junto com a delegada, durante o Primeira Página desta quarta-feira, a Psicóloga Marli Lunezo compartilhou sua experiência na atuação com vítimas desses crimes e passou orientações aos pais.

Na conversa com a Delegada Maria Luísa e com a Psicóloga Marli Lunezo, foi debatido a relação entre a pandemia e a dificuldade de denunciar a violência sexual, devido ao fato de  oitenta e quatro por cento dos casos de estupro de vulneráveis acontecerem dentro de casa, segundo dados divulgados pela UNICEF.




Dia 18 de Maio

O dia 18 de Maio foi instituído pela LEI nº 9.970, de 17 de Maio de 2020, como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. Essa data remete à um crime bárbaro que chocou o país. A data foi pensada em memória da menina brasileira Araceli Cabrera Sánchez Crespo, de 8 anos de idade, que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973.

Dados da Violência Sexual

No primeiro semestre de 2020, o crime de estupro ocorrido em residências do Estado de São Paulo correspondeu a 84% do total de crimes de abuso, chegando a 88% no mês de maio, superando os anos anteriores. Em sua maioria, as vítimas são crianças, esse crime correspondeu a 75% do total de estupros registrados no Estado de São Paulo no primeiro trimestre. Em média 7% das vítimas possuem algum tipo de deficiência ou outra vulnerabilidade (deficiência intelectual). Dados do Relatório do Instituto Sou da Paz, Ministério Público de São Paulo e UNICEF.



A Delegada Luísa Rigolin divulgou, durante sua participação no Primeira Página, dados sobre a violência sexual no estado de São Paulo e na cidade de Capivari.

Prefeitura de Capivari no dia 18 de Maio

A Prefeitura de Capivari, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, realiza na nesta semana, de 17 a 21 de maio, a Semana de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Serão feitas diversas ações com os estudantes das redes Municipal e Estadual, e no dia 18, um ato simbólico foi realizado na Praça Central, às 10h. Com som, música e imagens, o ato, tem caráter de chamar atenção do público, criando questionamento sobre o combate ao abuso.

O tema será desenvolvido com crianças e adolescentes das escolas municipais e estaduais, de forma online em horário de aula. Para isso vídeos de sugestão foram fornecidos para os profissionais possam trabalhar durante esta semana.

“Eu gostaria muito que alunos e familiares estejam engajados nessa causa, pois é um assunto de grande relevância e importância para o desenvolvimento saudável das nossas crianças e adolescentes. Falar sobre abuso sexual é tocar na ferida, esperando curá-la com conscientização e Educação”, afirmou o Secretário de Desenvolvimento Social, Ramon Bisin.