Compartilhe

Estudo realizado por pesquisadores do Hospital Shenzhen Kangning, na China, comprovaram os benefícios do vinho contra a Covid-19. A pesquisa foi realizada usando 473.957 pessoas, das quais algumas consumiam mais cerveja, outras destilados e, ainda, as bebedoras de vinho. Do total de analisados, 16.559 testaram positivo para a doença. Segundo as observações, o consumo de cerveja e cidra deixou as pessoas mais vulneráveis ao novo coronavírus, assim como aquelas que ingeriam destilados.

No entanto, pessoas com histórico de alto consumo de vinho tinto (cerca de cinco taças por semana ou mais) apresentaram menos vulnerabilidade ao vírus. O mesmo também foi constatado em pessoas que ingeriam vinho branco e champagne. Além disso, os cientistas traçaram um comparativo entre o consumo e o não consumo de álcool e concluíram que, aqueles que bebiam tinham menos chances de serem contaminados, embora a proteção não fosse significativa. Já aqueles que dobravam a ingestão acima das diretrizes ou mais, independente da bebida, tinham um risco 12% maior de contrair o vírus.



Um estudo anterior, de 2021, em Taiwan, já havia testado os mesmos efeitos no vinho e, pasmem, também ficou comprovadíssima a eficácia. Segundo a pesquisa, os taninos, compostos naturais antioxidantes de efeito anti-inflamatório, são os heróis. O ácido tânico, da mesma classe, também se mostrou eficaz contra a SARS, em outro estudo, realizado em 2003. Além das uvas, os taninos também estão presentes em várias outras frutas, plantas e alimentos, como banana verde, romã, cravo, caqui, cacau, cravo da índia, nozes e castanhas, dentre outros.