Compartilhe

Um falso médico que atuava em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Novo, Zona Norte do Rio, foi desmascarado após escrever receita médica com erro de português e não saber usar o sistema eletrônico de prescrição de medicamentos.

Aleksandro Gueivara foi contratado como plantonista pela Organização Social Viva Rio. Chamaram a atenção de colegas erros cometidos por ele, como na grafia da palavra “potássio” – o falso médico escreveu “potacio”.



Também foi visto com estranhamento o fato de ele usar apenas o sistema manual de receitas médicas, e não o eletrônico, inclusive para pacientes já internados ou que precisavam de medicamento intravenoso. A reportagem foi até a casa dele nesta quarta (26) e à reportagem, ele disse que errou ao “brincar” com a saúde pública.

O caso começou a ser investigado pela direção da UPA no último domingo (23), após pacientes não conseguirem pegar remédios na farmácia porque funcionários não identificaram o número de registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) do falso médico. O caso veio à tona uma semana após ser preso outro homem que dava plantão na UPA de Realengo, na Zona Oeste do Rio, usando o carimbo de um médico.

Segundo a Organização Viva Rio, que contratou o falso profissional, após identificada a fraude, Aleksandro Gueivara foi excluído dos cadastros e não recebeu o pagamento. A entidade informou que vai registrar o caso na delegacia.