Compartilhe

Uma operação realizada pela Guarda Civil, com apoio da Diretoria de Meio Ambiente, resgatou sete aves na quarta-feira, dia 30, na Fazenda Santa Cruz, por volta das 14h30. Um casal, responsável por manter presos cinco dos sete animais silvestres, terá de responder por crime ambiental. Os outros dois animais foram entregues de maneira voluntária.

A GCM foi acionada através de denúncia anônima feita pelo telefone 153, informando que no local três cães estavam sofrendo de maus-tratos, ainda com vários pássaros silvestres, sendo criados e comercializados irregularmente. A partir disto, as equipes foram até o local, onde constataram que a denúncia de maus-tratos não procedia, porém encontraram dois pássaros “Trinca-ferro” e três “Coleirinhos” que estavam sem autorização legal.



O responsável não foi encontrado no local e, diante disto, sua esposa, que tinha conhecimento do fato, foi apresentada no 1°DP Capivari, onde a Delegada Maria Luisa Dalla B. Rigolin determinou a apreensão das Aves e das cinco gaiolas, que permaneceram sobre a custódia da Diretoria de Meio Ambiente. Os acusados foram indiciados e liberados.

Já os outros dois pássaros da espécie Tiê-preto, foram entregues voluntariamente, após o munícipe ser informado do caso.

Nesta quinta-feira, 01, o Diretor de Meio Ambiente, Guilherme Pagotto, levou as aves até o Cras PET, situado no Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo. O CRAS é uma área de proteção ambiental, entre outras, voltada à recuperação de animais silvestres. Pagotto explica que o processo é necessário para que as aves possam se reabilitar para retornar a natureza.

“Transportamos os animais e deixamos sob os cuidados da equipe do CRAS para que recebam tratamento curativo ou preventivo e, em seguida, seja avaliado seu comportamento. A alimentação também é corrigida e, depois de vencidas todas essas etapas, é feita uma avaliação sanitária e só depois as aves podem ir para as áreas de solturas que estão cadastradas, sendo devolvidas ao seu habitat”, detalhou.



Pagotto complementou alertando que essa prática de manter animais silvestres, sem o devido registro do órgão ambiental competente, se caracteriza crime.

“Todos sabem que o comércio e tráfico de animais é expressamente proibido e qualquer ação como caça ilegal ou maus-tratos deve ser denunciada, podendo acionar a Guarda Municipal pelo 153 ou o Meio Ambiente pelo (19) 3492-2975.