Compartilhe

O projeto ”Lado A e Lado B” traz 40 músicas, 18 de um estilo mais atual (Lado B), e 22 sertanejas tradicionais, modas de viola, daquelas brutas (Lado A).

O trabalho, produzido por Zé Renato Mioto ao lado do João Carreiro, tem participações de Rionegro e Solimões, Matogrosso e Mathias e do grupo Scort Som, que toca o “lambadão cuiabano”.



Do que dá pra perceber rapidamente, eles continuam muito sarcásticos e politicamente incorretos, chegam a cantar “pode até fazer sucesso, mas se tem brinco de argola, e se dança e rebola, não toca em minha vitrola” em “Não Toca em Minha Vitrola”.

Essa parte do bom humor continua igual, criativa, do jeito que sempre foi.

O que destaca o trabalho é, indiscutivelmente, a parte romântica, na qual eles foram mais além. Os discos são repletos de músicas intensas, de histórias boas.

Tem música para o falecido pai de Capataz, “Sarafa”, a regravação da dolorida “Pergunte a ela”, além de “Sete Sentidos”, no encontro da dupla com Rionegro e Solimões, e de “Cadê”, ao lado de Matogrosso e Mathias.



Sobre as modas de viola, não tem o que comentar. É sucesso na certa em uma boa roda de violeiros.