Compartilhe

O mundo tem capacidade de vencer a Covid em 2022, ou seja, acabar com a pandemia do coronavírus neste ano que se inicia. As palavras de esperança são do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus. Em vídeo no LinkedIn, ele disse que o mundo tem “as ferramentas, os recursos e as razões (mais de 5 milhões de vidas perdidas) para acabar” com a pandemia.

Mas a OMS também alertou que o Brasil precisa se preparar para nova onda de Covid. A Europa e América do Norte já enfrentam aumento do número de casos da doença simultaneamente ao avanço da variante Ômicron. “Provavelmente vamos continuar a ter ondas de transmissão em todo o mundo, e a América do Sul e o Brasil não são exceções”, disse o diretor de operações da entidade, Mike Ryan.



Ele ressaltou a importância da vacinação para estabilizar a situação e também cobrou das autoridades locais, estaduais e federais um trabalho conjunto de preparação para uma nova onda de casos. O diretor-geral da OMS declarou que o rápido avanço da Ômicron deve ser combatido com vacinas e políticas públicas de saúde.

Para alcançar o objetivo é preciso primeiro erradicar a desigualdade na distribuição das vacinas entre os países. Por isso, o objetivo do diretor-geral da OMS em 2022 é vacinar 70% da população de cada país até o meio do ano.

 Na segunda-feira (27), o mundo ultrapassou pela primeira vez a marca de 1 milhão de casos diários identificados. O aumento foi capitaneado pelos Estados Unidos, Reino Unido e Espanha.