Compartilhe

O registro de nascimento, que seria uma situação comum na vida de um casal após a chegada de um filho, se tornou um acontecimento cômico que não será esquecido por uma família de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O pai, responsável pela missão, se confundiu na hora de preencher os documentos no cartório e registrou a recém-nascida com o mesmo nome da filha mais velha, de 3 anos.



A mãe das crianças, a escritora Carol Christo, contou que soube da confusão por telefone. O marido, Armando Bianchetti, fez questão de ligar logo após perceber o mal-entendido.

— Ele me ligou de um lugar muito barulhento e mal dava para escutá-lo. Ele só me disse: “Carol, eu escrevi o nome errado. Agora a gente tem duas Ninas”.

Ao chegar em casa, Armando detalhou a história para a esposa e a reação que teve ao descobrir a falha.

— Em vez de colocar Mia, eu coloquei Nina. Eles imprimiram e a moça pediu para eu conferir o nome que estava Nina. Eu falei: “Nina? Não! Eu escrevi isso?”. Ela respondeu que sim.



“A confusão foi tamanha que ele também escreveu que ela [a Mia] nasceu em 2022”.

Para alívio do casal, os tabeliães conseguiram entrar no sistema poucas horas depois e corrigir tanto o erro do registro civil, quanto do CPF (Cadastro de Pessoa Física) que também havia sido emitido com o nome trocado.