Compartilhe

Trinta e uma pessoas foram presas durante uma operação policial nesta quarta-feira (15) em cidades da região de Piracicaba e Sorocaba. O comando da operação é do Departamento de Polícia Judiciária do Interior 9 através da Delegacia de Polícia de Capivari.

A operação, nomeada de “Acauã”, investiga crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e crime organizado. As apreensões e detidos foram levados para Capivari (SP), onde a investigação começou.



A operação, nomeada de “Acauã”, investiga crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e crime organizado. As apreensões e detidos foram trazidos para Capivari (SP), onde a investigação começou.

Em coletiva de imprensa na tarde desta quarta, as equipes de Polícia do Deinter 9 informaram que foram cerca de seis meses de investigações, que resultaram na operação.

Foto: Tonny Machado

Cidades

As investigações se expandiram para nove cidades: Indaiatuba, Paulínia, Hortolândia, Itu, Várzea Paulista, Atibaia, Campo Limpo Paulista, Jundiaí e Capivari.

Durante a coletiva foi informado que em Jundiaí, foi onde ocorreu o maior foco da operação. Lá também aconteceu a prisão de uma advogada, que era vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Jundiaí (OAB-Jundiaí). Ela tinha a função de levar informações de fora dos presídios para dentro.

Foto: Tonny Machado


Em nota, a OAB informou que a diretoria foi comunicada da prisão e que a advogada apresentou uma carta de renúncia do cargo “para defender sua inocência”.

“A Comissão de Prerrogativas está acompanhando e apurando as bases da operação da Polícia Civil, reforçando sua atuação para que os direitos e as prerrogativas sejam respeitados para o cumprimento do devido processo legal, do futuro contraditório e da ampla defesa.”

Facção criminosa

Todos os detidos foram levados para a delegacia de Capivari. Conforme informações do Deinter 9, eles fazem parte de uma mesma facção criminosa que traficava drogas. Vários entorpecentes foram apreendidos.

O líder da quadrilha seria um homem de 40 anos, que também foi preso. Ele tinha várias passagens pela polícia. A suspeita é que ele era responsável por cerca de 80% do tráfico de drogas da cidade de Capivari, segundo a Polícia.

Entre os presos chamou atenção da polícia o envolvimento das mulheres dos criminosos, que tinham papel atuante na quadrilha, conforme o Deinter 9.

Agora a investigação também vai apurar se a quadrilha praticava o “tribunal do crime”. A suspeita é que duas a três pessoas, membros do grupo, podem ter sido executadas por eles nos últimos seis meses, segundo a polícia.