Compartilhe

Mais um capítulo sobre o assissinato do ex-prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli (PSDB), no dia 2 de outubro de 2015. O suspeito de cometer o crime, Thiago Gomes Calado, foi condenado a 21 anos de regime fechado pela Justiça de Monte Mor (SP). A decisão ainda cabe recurso.

Thiago Gomes Calado (Foto: Tonny Machado)

O caso, que aconteceu em 2015, teve diversos desdobramentos durante suas investigações. Segundo o inquérito das autoridades, o chefe do executivo, que foi assassinado enquanto visitava uma obra de canalização de um córrego da cidade, teve sua  morte encomendada pelo empresário Sérgio Vicente Picão, de 42 anos. Os motivos se devem a impasses econômicos, uma vez que o antigo prefeito não liberava a construção de um loteamento irregular na cidade. Ambos os suspeitos estão presos



A promotora do caso, Cristiane de Morais Ribeiro Sampaio Carvalhaes de Camargo, explicou como foi concedida a pena de Thiago Calado. Segundo ela, o juiz considerou as consequências e o fato da morte ter sido decorrida após seis tiros. Vale ressaltar que Betarelli exercia as funções de prefeito na época, fazendo com que a pena base ficasse acima do mínimo. Além disso, duas coisas ainda influenciaram na decisão da pena: dificultar a defesa da vítima e motivo torpe.

“A investigação deste crime foi muito bem feita e havia provas seguras da autoria, então a condenação foi acertada. O MP está de acordo e não vou recorrer da sentença”

Cristiane de Morais Ribeiro Sampaio Carvalhaes de Camargo, promotora do caso
Thiago Calado e Sérgio Picão, suspeitos de matar o ex-prefeito de Elias Fausto (Foto: Reprodução)

A pena acima é apenas de Thiago Calado. O suspeito de ser o mandante, Sérgio Picão, será julgado pois interpôs mais recursos contra a sentença de pronúncia – decisão que decide que o caso deve ser julgado pelo tribunal do júri.

Na época do caso, após suspeitas de uma emboscada divulgada pelo então secretário da Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, as investigações levaram ao autor do crime, através de depoimentos, análise de câmeras de segurança e diligências. O jovem foi encontrado em Indaiatuba, onde confessou o crime. Já o mandante, por meio de seu advogado, disse que a prisão foi “armação” da polícia para dar “resposta rápida sobre o crime para a sociedade”, negando sua participação no crime. As investigações foram encerradas no final de novembro de 2015.

Laércio Betarelli era conhecido como Dude. Foi eleito em 2012 para seu terceiro mandato com 67% dos votos. Antes disso, trabalhou no setor de obras do município e como vereador, onde atuou como presidente da câmara.

Ex-prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli, mais conhecido como Dude (Foto: Reprodução)